domingo, novembro 24, 2013

Era mesmo do teu sorriso que eu precisava

Céu cinzento de tarde escura
Vento frio gelando a alma
De outono quase inverno a penumbra
E o deserto de caminhar por entre estranhos.

Nada é meu, nada me toma ou me arrebata
Nenhuma folha caída dança sobre a água
Nenhuma pétala esquecida, calada,
De uma árvore desnuda pelo vento.

A brisa gélida quase mata de tristeza, de saudade
E de mais todas essas metáforas que se escrevem em poemas.
Dias taciturnos, noites pálidas de estrelas cansadas
Cintilando tímidas na imensidade.

Eu ando só e paro quieto entre a multidão distante
Meus passos quais astros errantes buscando pelo que eu não sabia.
Eu paro quieto observando o vem e vai dos que andam por perto
Que partem sem saber ou sem ouvir ou sem ver o que de repente eu via.

Em meio aos estranhos de rostos duros, tácitos,
O teu sorriso plácido incendeia, ilumina, me conforta.
A pele clara, os dentes alvos, os lábios finos, tímidos,
Sorrindo para mim enquanto caminhavas, devagar, passando por mim, olhando para mim.
Era mesmo do teu sorriso que eu precisava.

Visite: www.marciowaltermachado.com.br





quinta-feira, novembro 07, 2013

Dublin, Irlanda, Intercâmbio - Texto 3 - alimentação

O filósofo Irlandês George Bernard Shaw uma vez disse que "não existe amor maior que o amor à comida". Se isso for verdade, então eu encontrei a resposta para os vários e-mails e mensagens no Facebook pedindo que eu abordasse o tema "comida e restaurantes" em Dublin. Então, hoje a gente vai falar sobre esse assunto tão importante e sem o qual (já disse Mr. Shaw) fica difícil ser feliz. 

Café da manhã tradicional - salsicha, calabresa, feijão,
ovo frito, bacon, presunto, champignon Irish muffin
(restaurante O'connel's - ambiente ótimo!)

Posso dizer que o centro de Dublin (e não só ele) é o lugar perfeito para os comilões e para os nem tão comilões assim. Aqui podemos encontrar restaurantes, lanchonetes e delicatassens para todos os gostos e para todos os gastos. É possível encontrar um bom café da manhã irlandês tradicional (e supercalórico) por 9 euros, o ubíquo Maccafé por 5 euros ou um simples café com leite + croissant por 2 euros.  Há também a opção de frutas (3 por 2 euros) e sucos ou chá para começar o dia e, quem sabe, encontrar alguém para uma boa conversa enquanto nos esquentamos do vento frio das manhãs locais. Dublin, aliás, não é uma cidade apenas para comer, mas também para encontrar gente do mundo inteiro, boa parte dela com um desejo enorme por conexão humana, de estabelecer contatos e amizades - basta puxar conversa.

Para quem não tem tempo de sentar e apreciar o café num restaurante, há também a opção de ir a um mercado (Tesco, Spar, Dunnes, Superquinn etc.) e comprar o que deseje já prontinho e comer no trabalho ou na escola, ou fazer seu próprio lanche em casa, o que, aliás, pode ser muito mais em conta. Por exemplo, esses dias eu comprei uma vara de pão francês (um metro de pão) por 1 euro + caixinha com 10 fatias de salame por 1 euro + mortadela de presunto
Tudo isso custou 16.71 euros
com 20 fatias por 2 euros. Resultado, o pão serviu de merenda por 5 dias. Para acompanhar o sanduiche eu fiz chocolate (3.99 a lata de 500 gr. no Dunnes) com leite em pó Ninho (8 euros a lata de 900 gr. no mercado asiático). No fim das contas, sai bem melhor você comprar os ingredientes e preparar sua própria merenda. Se você for do tipo que tem vergonha de comer na rua, que prefere gastar mais $ em vez de economizar fazendo seu próprio lanche em casa com as coisas que você já comprou para a semana/mês, não se preocupe, em breve você descobrirá que todo mundo aqui NÃO tem vergonha de comer em qualquer lugar (inclusive sentado na calçada ou aos pés dos monumentos e estátuas), e entenderá a importância de economizar dinheiro uma vez que hoje, neste exato momento em que eu lhe escrevo,  1 euro está custando 3.076 reais (segundo pesquisa que acabei de fazer no Google). 
 
Feijoada no Taste of Brazil

Mas nem só de pão o homem viverá. Viveremos também de feijão, arroz, carne, fritas e todo tipo de comida que já inventaram e, graças a Deus, trouxeram para Dublin com as levas de imigrantes de todas as partes do mundo que aqui resolveram aportar. Assim, você encontra na cidade restaurantes asiáticos, europeus, estadunidenses e, obrigado-meu-Pai-por-isso, brasileiros. O almoço tradicional irlandês é sopa com pão - é, isso mesmo, a sopinha que sua mãe faz toda a noite e você com sua cara de bolacha não quer comer -, a diferença é que a sopa é mais grossa que a brasileira regular, se aproximando mais do "caldo", na verdade. É boa, mas "não nos representa!", depois de uma hora sua barriga está roncando de novo.
 
Eu visitei quatro restaurantes brasileiros (o endereço está no final do post) e recomendo todos os quatro. A maioria dos funcionários é brazuca, extremamente atenciosa e a comida lembra o sabor reconfortante da comida de nossa casa  - por mais que estejamos aqui em intercâmbio, não tem brasileiro que se acostume a tomar sopinha com pão no almoço. Os restaurantes, apesar de todos terem comida boa, tem ambientes diversos.


Dessa forma, poderíamos dizer que o Samba, por exemplo, é um restaurante mais simples, com cara de um botequinho confortável e limpo num bairro popular. As pessoas estão mais descontraídas, não há música ambiente, a comida é servida ao modo self-service, (salada (3 ou 4 tipos) e acompanhamentos (feijão, arroz, farofa), exceto a carne que você escolhe e eles preparam na hora e trazem à mesa. Esse acompanhamento pode ser bife, frango, sempre fritos, strogonoff, etc. ) para estudante o prato custa 5 euros. Você serve o quanto quiser, mas não pode repetir.
 
O THE MEZZ funciona junto com um Pub irlandês e é um ambiente mais descolado. Embora não haja bêbados ou coisa parecida, e seja um lugar bem organizado e cujos funcionários são bastante atenciosos, porque funciona com um Pub talvez não seja um ambiente para crianças. A comida também é no estilo self-service para o básico (salada (há apenas dois ou três tipos), arroz, feijão, farofa) - você serve apenas uma vez o quanto você queira comer - e o funcionário serve o acompanhamento especial (strogonoff, lasanha, arrumadinho, carne, peixe, etc. dependendo do dia). Há música brasileira ambiente e o valor do prato para estudantes é 5 euros e as bebidas são servidas no bar do Pub.
 
O Boteco Brasil, apesar do nome, é muito refinado.  São quatro ambientes confortabilíssimos e de muito bom padrão. Os funcionários são muito atenciosos e a comida é muito boa. Funciona no mesmo esquema dos outros restaurantes: o buffet é aberto para a boa variedade de saladas (a maior entre todos), feijão, arroz, farofa e os acompanhamentos especiais são servidos por um funcionário. O valor para estudantes é 5 euros. Há música brasileira ambiente e eles também oferecem sobremesa - pudim, torta, creme, etc.
 
 
O Taste of Brazil tem um ambiente confortável e a comida é à la carte, por isso é o mais caro entre os quatro. Mas o ambiente é ótimo, o local confortável, e, não fugindo do padrão brasileiro em Dublin, os funcionários são atenciosíssimos. Eles, além de refrigerantes, café e cerveja, têm um menu de drinks. Não há desconto para estudantes, mas vale a pena gastar um pouco mais se você puder.
 
Todos as restaurantes citados funcionam a partir das 12:00 (o The Mezz às 12:30) para almoço e às 18:00 para janta. Aos domingos eles oferecem rodízio de carne (não tenho certeza quanto ao Taste of Brazil) e feijoada (o The Mezz tem feijoada aos sábados - é 8 euros mas você se serve quantas vezes quiser). Para ter o desconto de estudante é necessário apresentar a carteira provisória do seu curso ou a carteira de estudante feita pela Trinity College.


cozido de cordeiro no O'connell
Bem, isto dito, fica a janta. O prato típico da Irlanda é o cozido com carne de cordeiro que parece uma sopa brasileira, e é uma delícia, mas, se você não gosta de cozido, pode comer nos restaurantes brasileiros, fazer um lanche num fast-food ou cozinhar qualquer outra coisa. Pode aproveitar, inclusive, e dar uma passadinha no mercado e comprar comida congelada. Eu particularmente não janto à noite, apenas tomo uma sopa ou como umas frutas, mingau, ou o que der vontade. Geralmente não vou ao restaurante para isso, passo no supermercado.
Vi alguns vídeos na Internet em que as pessoas aconselham ir ao Tesco comprar comida, pois, segundo eles, é o lugar mais barato. Não é verdade. Os valores são muito variáveis, então é bom que você procure antes de sair comprando. Para frutas e verduras, eu prefiro ir à feira que fica entre a Parnel e a Henry Street. Lá você encontra bananas, por exemplo, sendo vendidas entre 8  e 15 por 1 euro (no mercado, a não ser que estejam quase podres, você encontra 5 por 2.5 euros ou mais). Então depende mesmo de você procurar. Eu sempre compro no Lidl, Dunnes ou Tesco e acho grandes variações entre os três. Às vezes é melhor comprar um produto em um, outro produto em outro pra economizar euro. Uma outra coisa barata aqui é água. Você encontra 2 litros variando entre 0.49 e 2 euros. Still Water significa que não tem gás. Você pode economizar em água bebendo da torneira da cozinha, a água é tratada, mas tem muito cloro e flúor, então o gosto é ruim, mas se você se acostumar, fica boa. Eu não consegui. Então comecei a comprar Dunnes Still cuja garrafa de 2 litros custa 0.69.
 
Vou deixando vocês agora, mas continuem mandando perguntas para o meu e-mail ou para a caixa de mensagens do Facebook.
 
Seguem os links dos restaurantes brasileiros: https://www.facebook.com/BotecoBrazildublin?fref=ts 
 
 
Se vocês gostaram das informações, compartilhem o blog. Valeu!!