domingo, novembro 24, 2013

Era mesmo do teu sorriso que eu precisava

Céu cinzento de tarde escura
Vento frio gelando a alma
De outono quase inverno a penumbra
E o deserto de caminhar por entre estranhos.

Nada é meu, nada me toma ou me arrebata
Nenhuma folha caída dança sobre a água
Nenhuma pétala esquecida, calada,
De uma árvore desnuda pelo vento.

A brisa gélida quase mata de tristeza, de saudade
E de mais todas essas metáforas que se escrevem em poemas.
Dias taciturnos, noites pálidas de estrelas cansadas
Cintilando tímidas na imensidade.

Eu ando só e paro quieto entre a multidão distante
Meus passos quais astros errantes buscando pelo que eu não sabia.
Eu paro quieto observando o vem e vai dos que andam por perto
Que partem sem saber ou sem ouvir ou sem ver o que de repente eu via.

Em meio aos estranhos de rostos duros, tácitos,
O teu sorriso plácido incendeia, ilumina, me conforta.
A pele clara, os dentes alvos, os lábios finos, tímidos,
Sorrindo para mim enquanto caminhavas, devagar, passando por mim, olhando para mim.
Era mesmo do teu sorriso que eu precisava.

Visite: www.marciowaltermachado.com.br





quinta-feira, novembro 07, 2013

Dublin, Irlanda, Intercâmbio - Texto 3 - alimentação

O filósofo Irlandês George Bernard Shaw uma vez disse que "não existe amor maior que o amor à comida". Se isso for verdade, então eu encontrei a resposta para os vários e-mails e mensagens no Facebook pedindo que eu abordasse o tema "comida e restaurantes" em Dublin. Então, hoje a gente vai falar sobre esse assunto tão importante e sem o qual (já disse Mr. Shaw) fica difícil ser feliz. 

Café da manhã tradicional - salsicha, calabresa, feijão,
ovo frito, bacon, presunto, champignon Irish muffin
(restaurante O'connel's - ambiente ótimo!)

Posso dizer que o centro de Dublin (e não só ele) é o lugar perfeito para os comilões e para os nem tão comilões assim. Aqui podemos encontrar restaurantes, lanchonetes e delicatassens para todos os gostos e para todos os gastos. É possível encontrar um bom café da manhã irlandês tradicional (e supercalórico) por 9 euros, o ubíquo Maccafé por 5 euros ou um simples café com leite + croissant por 2 euros.  Há também a opção de frutas (3 por 2 euros) e sucos ou chá para começar o dia e, quem sabe, encontrar alguém para uma boa conversa enquanto nos esquentamos do vento frio das manhãs locais. Dublin, aliás, não é uma cidade apenas para comer, mas também para encontrar gente do mundo inteiro, boa parte dela com um desejo enorme por conexão humana, de estabelecer contatos e amizades - basta puxar conversa.

Para quem não tem tempo de sentar e apreciar o café num restaurante, há também a opção de ir a um mercado (Tesco, Spar, Dunnes, Superquinn etc.) e comprar o que deseje já prontinho e comer no trabalho ou na escola, ou fazer seu próprio lanche em casa, o que, aliás, pode ser muito mais em conta. Por exemplo, esses dias eu comprei uma vara de pão francês (um metro de pão) por 1 euro + caixinha com 10 fatias de salame por 1 euro + mortadela de presunto
Tudo isso custou 16.71 euros
com 20 fatias por 2 euros. Resultado, o pão serviu de merenda por 5 dias. Para acompanhar o sanduiche eu fiz chocolate (3.99 a lata de 500 gr. no Dunnes) com leite em pó Ninho (8 euros a lata de 900 gr. no mercado asiático). No fim das contas, sai bem melhor você comprar os ingredientes e preparar sua própria merenda. Se você for do tipo que tem vergonha de comer na rua, que prefere gastar mais $ em vez de economizar fazendo seu próprio lanche em casa com as coisas que você já comprou para a semana/mês, não se preocupe, em breve você descobrirá que todo mundo aqui NÃO tem vergonha de comer em qualquer lugar (inclusive sentado na calçada ou aos pés dos monumentos e estátuas), e entenderá a importância de economizar dinheiro uma vez que hoje, neste exato momento em que eu lhe escrevo,  1 euro está custando 3.076 reais (segundo pesquisa que acabei de fazer no Google). 
 
Feijoada no Taste of Brazil

Mas nem só de pão o homem viverá. Viveremos também de feijão, arroz, carne, fritas e todo tipo de comida que já inventaram e, graças a Deus, trouxeram para Dublin com as levas de imigrantes de todas as partes do mundo que aqui resolveram aportar. Assim, você encontra na cidade restaurantes asiáticos, europeus, estadunidenses e, obrigado-meu-Pai-por-isso, brasileiros. O almoço tradicional irlandês é sopa com pão - é, isso mesmo, a sopinha que sua mãe faz toda a noite e você com sua cara de bolacha não quer comer -, a diferença é que a sopa é mais grossa que a brasileira regular, se aproximando mais do "caldo", na verdade. É boa, mas "não nos representa!", depois de uma hora sua barriga está roncando de novo.
 
Eu visitei quatro restaurantes brasileiros (o endereço está no final do post) e recomendo todos os quatro. A maioria dos funcionários é brazuca, extremamente atenciosa e a comida lembra o sabor reconfortante da comida de nossa casa  - por mais que estejamos aqui em intercâmbio, não tem brasileiro que se acostume a tomar sopinha com pão no almoço. Os restaurantes, apesar de todos terem comida boa, tem ambientes diversos.


Dessa forma, poderíamos dizer que o Samba, por exemplo, é um restaurante mais simples, com cara de um botequinho confortável e limpo num bairro popular. As pessoas estão mais descontraídas, não há música ambiente, a comida é servida ao modo self-service, (salada (3 ou 4 tipos) e acompanhamentos (feijão, arroz, farofa), exceto a carne que você escolhe e eles preparam na hora e trazem à mesa. Esse acompanhamento pode ser bife, frango, sempre fritos, strogonoff, etc. ) para estudante o prato custa 5 euros. Você serve o quanto quiser, mas não pode repetir.
 
O THE MEZZ funciona junto com um Pub irlandês e é um ambiente mais descolado. Embora não haja bêbados ou coisa parecida, e seja um lugar bem organizado e cujos funcionários são bastante atenciosos, porque funciona com um Pub talvez não seja um ambiente para crianças. A comida também é no estilo self-service para o básico (salada (há apenas dois ou três tipos), arroz, feijão, farofa) - você serve apenas uma vez o quanto você queira comer - e o funcionário serve o acompanhamento especial (strogonoff, lasanha, arrumadinho, carne, peixe, etc. dependendo do dia). Há música brasileira ambiente e o valor do prato para estudantes é 5 euros e as bebidas são servidas no bar do Pub.
 
O Boteco Brasil, apesar do nome, é muito refinado.  São quatro ambientes confortabilíssimos e de muito bom padrão. Os funcionários são muito atenciosos e a comida é muito boa. Funciona no mesmo esquema dos outros restaurantes: o buffet é aberto para a boa variedade de saladas (a maior entre todos), feijão, arroz, farofa e os acompanhamentos especiais são servidos por um funcionário. O valor para estudantes é 5 euros. Há música brasileira ambiente e eles também oferecem sobremesa - pudim, torta, creme, etc.
 
 
O Taste of Brazil tem um ambiente confortável e a comida é à la carte, por isso é o mais caro entre os quatro. Mas o ambiente é ótimo, o local confortável, e, não fugindo do padrão brasileiro em Dublin, os funcionários são atenciosíssimos. Eles, além de refrigerantes, café e cerveja, têm um menu de drinks. Não há desconto para estudantes, mas vale a pena gastar um pouco mais se você puder.
 
Todos as restaurantes citados funcionam a partir das 12:00 (o The Mezz às 12:30) para almoço e às 18:00 para janta. Aos domingos eles oferecem rodízio de carne (não tenho certeza quanto ao Taste of Brazil) e feijoada (o The Mezz tem feijoada aos sábados - é 8 euros mas você se serve quantas vezes quiser). Para ter o desconto de estudante é necessário apresentar a carteira provisória do seu curso ou a carteira de estudante feita pela Trinity College.


cozido de cordeiro no O'connell
Bem, isto dito, fica a janta. O prato típico da Irlanda é o cozido com carne de cordeiro que parece uma sopa brasileira, e é uma delícia, mas, se você não gosta de cozido, pode comer nos restaurantes brasileiros, fazer um lanche num fast-food ou cozinhar qualquer outra coisa. Pode aproveitar, inclusive, e dar uma passadinha no mercado e comprar comida congelada. Eu particularmente não janto à noite, apenas tomo uma sopa ou como umas frutas, mingau, ou o que der vontade. Geralmente não vou ao restaurante para isso, passo no supermercado.
Vi alguns vídeos na Internet em que as pessoas aconselham ir ao Tesco comprar comida, pois, segundo eles, é o lugar mais barato. Não é verdade. Os valores são muito variáveis, então é bom que você procure antes de sair comprando. Para frutas e verduras, eu prefiro ir à feira que fica entre a Parnel e a Henry Street. Lá você encontra bananas, por exemplo, sendo vendidas entre 8  e 15 por 1 euro (no mercado, a não ser que estejam quase podres, você encontra 5 por 2.5 euros ou mais). Então depende mesmo de você procurar. Eu sempre compro no Lidl, Dunnes ou Tesco e acho grandes variações entre os três. Às vezes é melhor comprar um produto em um, outro produto em outro pra economizar euro. Uma outra coisa barata aqui é água. Você encontra 2 litros variando entre 0.49 e 2 euros. Still Water significa que não tem gás. Você pode economizar em água bebendo da torneira da cozinha, a água é tratada, mas tem muito cloro e flúor, então o gosto é ruim, mas se você se acostumar, fica boa. Eu não consegui. Então comecei a comprar Dunnes Still cuja garrafa de 2 litros custa 0.69.
 
Vou deixando vocês agora, mas continuem mandando perguntas para o meu e-mail ou para a caixa de mensagens do Facebook.
 
Seguem os links dos restaurantes brasileiros: https://www.facebook.com/BotecoBrazildublin?fref=ts 
 
 
Se vocês gostaram das informações, compartilhem o blog. Valeu!!

 
 

domingo, outubro 13, 2013

Dublin, Irlanda, Intercâmbio estudantil (texto 2)

Tudo resolvido: desembarque em Dublin, malas na mão, fila de imigração, entrevista. Vejamos o que fazer agora.

 
Uma vez tendo passado pela imigração, é só sair em direção ao ventinho frio dos ares de Dublin. O aeroporto é razoavelmente grande, mas simples. Assim que você sai do desembarque os terminais de ônibus/táxi sorriem pra você. Se você sair no terminal 1, siga direto pelos portões, e na saída, desça à direita pela escada rolante. No terminal 2, siga em frente até sair de dentro do salão de desembarque. A tarifa de ônibus varia de acordo com o ponto onde você descerá. Para o Centro é geralmente 2.80 euros - portanto, é necessário que você diga ao motorista em que lugar da cidade você vai ficar e lhe pergunte quanto custa até lá (a pergunta é fácil: "how much to ...?" /ráu match tchu .../ - memorize os números em inglês -, eles, na grande maioria, são geralmente muito gentis e terão paciência para lhe dizer o valor número por número (alguns, no entanto, são muito impacientes). OBSERVE QUE NÃO HÁ A PROFISSÃO DE COBRADOR DE ÔNIBUS, daí você ter de depositar o valor exato em moedas no coletor eletrônico que fica ao lado do motorista. Depois disso, retire o tíquete à sua esquerda - se você depositar 3 euros em moeda quando a passagem for 2.80, por exemplo, no seu tíquete constará "refund due E20", significando que depois você poderá recolher o reembolso num lugar específico indicado no final do papelzinho.

É interessante notar que todos os ônibus têm painel eletrônico com o nome dos destinos passando em letras amarelas. Os pontos de ônibus também têm esses painéis indicando (em inglês e gaélico) o número do ônibus que passa por ali e em quanto tempo ele chegará - as palavras DUE/ANN significam que o ônibus já está no horário. Apesar de o tempo indicado nos painéis ser só aproximado, geralmente não há atrasos.


O táxi também é variável, mas até o Centro pode custar 30 euros - eles não têm taxímetro, mas o valor é regulado. Para informação sobre que ônibus pegar, consulte este site: http://www.dublinbus.ie/Route-Planner// é só entrar e digitar no espaço em "Where are you traveling from" = Dublin airport; e no espaço "Where do you wish to go", o seu destino - por exemplo, Parnel Street. O site lhe mostrará a rota e o número da parada de ônibus. Aproveite para olhar no Google maps 3D a rua do seu hostel, hotel, casa, etc. Você pode inclusive "sair passeando" pelas ruas e vizinhança para se acostumar ao ambiente, se familiarizar com os lugares por onde você passará, inclusive criando para si mesmo pontos de referência - foi só porque eu estava familiarizado com a área da casa onde ia ficar que consegui indicar ao taxista como chegar ao meu endereço, pois ele não sabia a rua onde a casa ficava.


Pelo Centro há cabines de informação espalhadas. Caso você necessite se localizar, é só chegar até lá, pedir um mapa (map /mép/) e dizer o nome da rua aonde você deseja ir. Os agentes são muito gentis e alguns até tentarão falar português com você - o número de brasileiros aqui é enorme! Eu costumo dizer que Dublin é nossa segunda casa, pois se escuta mais português na rua que inglês!

O Centro de Dublin é relativamente pequeno e você pode sempre se situar a partir de um monumento chamado Spire - é uma agulha gigantesca. Ela pode ser vista de várias partes da cidade.



Bem, agora que você já está acomodado, é começar a tratar da documentação. Os brasileiros não precisamos de visto para entrar na Irlanda ou outros países signatários do Acordo de Schengen. No entanto, se você vem estudar na Irlanda por mais de três meses, é necessário obter um visto de estudante e o número do GNIB (que é um documento obrigatório para todos os cidadãos que não fazem parte da UE). Seguem os detalhes abaixo:

Visto de estudante na Irlanda: Só quem precisa de visto é o estudante que ficará no país por mais de 3 meses - para um tempo inferior, só a autorização que é concedida por três meses ou pelo tempo exato do curso basta. Os estudantes que vêm no programa de 25 semanas (6 meses estudando, 6 meses trabalhando) necessitam do visto. Nos primeiros 6 meses você só pode trabalhar por 20 h semanais; nos 6 meses restantes você pode trabalhar até 40 h semanais (o salário aqui é pago por hora de trabalho, essa h geralmente varia entre 8 e 10 euros para trabalhos não especializados (kitchen porter, serviços gerais, arrumadeira, garçom, bartender...). Para obter o visto você vai passar por um processo de mais ou menos três semanas.

1o. É necessário (para estudantes que ficarão por mais de 3 meses) trazer consigo uma quantia mínima de 3.000 euros a fim de obter o visto e o n. do GNIB. Mas antes disso, você abrirá uma conta no Banco da Irlanda (vai chegar ao caixa, apresentar seu passaporte e carta da escola na qual conste  seu endereço - se você não estiver na residência estudantil d
a sua escola ou em homestay, pode pedir à escola que lhe dê uma carta onde conste o endereço para correspondência - e esperar entre 5 e 6 dias úteis para receber uma carta com o número da sua conta e no dia seguinte outra carta com seu cartão e senha).

2o. Após isso, você deve ir a uma agência do Banco da Irlanda e depositar seus 3 mil euros. No dia seguinte, você vai ao banco e pede um extrato de sua conta (Bank Statement) para provar que você tem os 3 mil disponíveis no banco. Esse extrato só chegará à sua casa após 5 dias úteis do pedido. Note que você só conseguirá o visto e o GNIB tendo em mãos: the letter of enrollment (carta de matrícula da escola), passaporte, Bank Statement (extrato bancário) e seguro médico obrigatório.

3o. Então, com tudo em mãos, você vai ao departamento de imigração e resolve sua vida. Você tem de chegar lá cedo, por volta das 7:00 da manhã, entrar na fila e esperar a senha. Eles lhe dizem que você dê um passeada e volte em duas horas - dependendo da época do ano em que você for, pode ser que fique na espera por 8 horas ou mais - eu cheguei às 6:50 e saí às 15:30 em outubro. Mas há os afortunados que chegaram lá à tarde e foram atendidos em 30 minutos em julho (dois, entre meus milhares de conhecidos).

4o. Você será chamado pelo número do seu tíquete. Vai para uma cabine onde apresentará ao agente da imigração os documentos necessários e um formulário com informações pessoais que você tem de preencher. Eles vão tirar uma foto sua e pedir que você aguarde ser chamado novamente. Após mais alguns minutos, vão te chamar numa sala onde tomarão suas impressões digitais (primeiro todos os dedos depois dedo por dedo) e coletarão sua assinatura. Você esperará por mais alguns minutos e recolherá seu passaporte e seu n. GNIB. Pronto, (quase) virou cidadão irlandês por um ano!

5o. Mas calma, ainda tem mais uma coisa para quem vai trabalhar: o PPS (Public Personal Service) que é tipo o nosso CPF e você só pode trabalhar (legalmente) tendo este número, a conta do banco e a autorização da imigração em mãos. Esse aqui é mais fácil de conseguir. No dia que você chegar, é só ir ao prédio do seguro social, retirar um formulário no serviço de informações, mostrar seu passaporte e endereço e esperar ser chamado pelo número que lhe darão. Lá, tirarão uma foto sua, lhe pedirão que preencha um documento com informações pessoais e duas perguntas de segurança, lhe mandarão pra casa e lhe dirão que espere por cinco dias úteis para receber o documento. (Atenção, você não precisa de falar inglês fluente para obter nenhum das coisas, mas, é bom que venha com pelo menos o básico para poder entender as informações).


Vou ficando por aqui hoje. Mais dúvidas, é só continuar enviando e-mail ou mensagem no Facebook.  Abaixo há uns links para serem visitados: http://www.garda.ie/controller.aspx?page=31   http://www.citizensinformation.ie/en/social_welfare/irish_social_welfare_system/personal_public_service_number.html
http://www.youtube.com/watch?v=xKTD31yOxeo&list=WL0huapFGpAnw7pgOPwc0oIvq3M03ZrbBE

E, é claro, visite: www.marciowaltermachado.com.br

Espero ter esclarecido as dúvidas. Até semana que vem.

terça-feira, setembro 24, 2013

INTERCÂMBIO NO EXTERIOR - PRIMEIROS PASSOS

Fiquei de começar a escrever sobre meu intercâmbio em Dublin, mas vou preferir começar do início, uma vez que muita gente que me pediu o post não sabe o que precisa para, como participar de, onde encontrar bons preços de intercâmbios.

O primeiro de todos os passos é tirar seu passaporte junto à Polícia Federal (entre no site da PF e veja onde, quanto, como e quando) FAÇA-O O QUANTO ANTES. Procure uma agência confiável, com referência no mercado e com experiência na área. Negócios particulares sempre estão no risco de quebrar, sair do mercado, etc. Mas sempre vale a pena procurar as agências conhecidas e/ou com referências - você pode, inclusive, pedir a seu agente o contato de algumas pessoas que participaram com eles de intercâmbios ou procurar o site da agência ou sua página no Facebook para ver o que as pessoas estão falando. Também é uma boa ideia visitar sites de reclamação para ver se agência não está na lista negra das queixas.

As agências vão te oferecer um leque de opções de países para estudar e de escolas ou cursos onde estudar (seja língua, arte, esportes, etc.). Depois disso eles irão te oferecer os pacotes que variam de uma semana a 1 ou 2 anos dependendo do que você queira estudar e de quanto dinheiro tenha para gastar.

As agências de intercâmbio (pelo menos as que eu procurei) cobram, por toda essa informação, um "valor módico" de aproximadamente $200 (algumas cobram em euro, outras em dólar - é, ninguém cobra em real), que você obrigatoriamente paga sem dividir. O resto do curso pode ser dividido entre 5 e 13 vezes dependendo da agência e de quando você irá viajar. É necessário lembrar que tudo tem de estar pago pelo menos 45 dias antes de sua viagem.

Esse "tudo" se refere à matrícula na escola/curso e seu respectivo valor total, o seguro obrigatório de viagem que a agência vai te oferecer ou que você pode adquirir por conta própria, o homestay (ficar em casa de família) ou acomodação estudantil - note que sai muito mais barato se você fizer reserva em albergue da juventude ou semelhante por pelo menos uma semana e depois procurar em sites especializados, páginas de Facebook e classificados, por apartamentos, pensionatos e quartos para alugar ou dividir. É uma economia muito grande, pelo menos de 1,000 reais.

Há também a opção de você negociar diretamente com a escola/curso - o valor será o mesmo, excetuando-se a taxa de consultoria, mas você não contará com o suporte de uma agência com pessoal especializado para te atender caso algo aconteça. Então, vá por uma agência e ajude a galera a ganhar comissão.

As agências te oferecerão passagens aéreas que poderão ter um desconto se tua idade for no máximo 30 anos, mas que - via de regra - só poderão ser divididas em 5 vezes. Eu preferi comprar na submarino.com, dividi de 10 vezes e economizei 2,500 reais. É obrigatório comprar as passagens de ida e volta. Geralmente os sites das empresas aéreas não oferecem a opção de mais de seis meses para retorno, ou seja, temos de comprar o retorno para seis meses (se formos estudar mais que esse tempo) e depois trocar a data da passagem no site (faça isso com no máximo 20 dias antes da data marcada no ticket.

Se você vier para a Europa, para algum país que não seja no Reino Unido, evite fazer escala em Londres. Eles são extremamente exigentes e você será submetido à mesma entrevista de alguém que vai ficar por lá. Amsterdam é sempre a melhor opção, ninguém vai te perguntar nada - geralmente - e você só passará pela checagem da bagagem de mão antes de ingressar no saguão de embarque, e outra antes de entrar no avião - uma vez que estiver no aeroporto para tomar o voo de escala, não perca tempo, parta direto ao portão escrito no seu ticket, pois os aeroportos são gigantescos. Eu gastei uns 15min andando até o portão de embarque no aeroporto de Amsterdam.

Bem, intercâmbio pago, passagens compradas, é hora de arrumar a mala. Lembre que você tem direito a uma franquia de duas malas de 32 quilos - se ultrapassar esse limite, você paga taxas - mais mala de mão (até 5 kg). Atente também que para voos domésticos a franquia muda, ou seja, talvez você precise se informar com a cia aérea do peso máximo em suas malas caso estas não sejam despachadas diretamente para o destino final.

O que levar então? depende do tempo que você ficará no país, mas mesmo que seja mais de seis meses, leve o mínimo possível, especialmente se você for numa época fria. Nesse caso, é super mais aconselhável comprar roupas no lugar onde você estará, uma vez que as roupas de inverno compradas no Brasil são para o inverno do Brasil e as mais quentes, térmicas, etc. custam o olho da cara.

Opte por levar o básico como:

MALA: 2 pares de sapato (um social e um tênis), um par de sandálias, 5 pares de meias, 7 roupas íntimas, 2 pijamas, 3 calças, 5 bermudas/shorts, dois pares de roupa de banho, 5 camisetas, 5 camisas (entre manga comprida e curta), dois moletons, 1 ou 2 casacos (que vc pode pôr em volta da cintura para usar no superfrio do avião), 1 ou 2 toalhas de banho e de rosto, perfume, xampu, condicionador, creme de barbear, remédios (leve os remédios que você pode utilizar dentro de suas embalagens originais e com a receita de seu médico. Se forem remédios controlados ou cuja substância não seja permitida no país aonde você vai, peça uma carta do seu médico em inglês ou na língua do país em que você fará seu intercâmbio, atestando sua condição médica. NÃO DEIXE DE LEVAR REMÉDIOS pra gripe, infecção intestinal, dores e alergias, pois só poderá comprá-los com receita e para obtê-la, só se consultando) - no aeroporto você pode embalar a mala para evitar danos a ela. Fotografe-a quando estiver despachando a mala, pois caso haja algum dano, arrombamento, etc. você poderá requisitar ressarcimento por isso. Ponha também, dentro da bagagem, em cima da roupa para ser logo vista caso a mala seja aberta, uma cópia de seu passaporte com endereço no Brasil e no exterior para onde sua mala poderá ser enviada em caso de extravio.

NECESSAIRE TRANSPARENTE: escova e creme dental, pente/escova, perfume (menos de 60 ml), desodorante (menos de 60 ml), absorvente (dentro da mala de mão - a viagem é longa).

MALA DE MÃO: câmera, filmadora, laptop, Ipod, etc. e seus respectivos cabos - se vier para a Europa, compre um adaptador universal, especialmente para a Irlanda e Reino Unido onde as tomadas são totalmente diferentes (eu tive de comprar um cabo novo pro meu laptop e um adaptador para minha câmera), uma muda de roupa, documentos de valor, guarda-chuva pequeno e não pontiagudo. Você também pode levar instrumento musical, desde que possa passar pelo  raio X e ser acomodado no compartimento em cima do assento ou embaixo da poltrona.

LEMBRE: líquido até 1 litro tem de ser embalado e despachado na mala. Não é possível levar objetos cortantes ou perfurantes, inflamáveis e produtos com pelo animal, nem sementes ou plantas nativas - a não ser que você seja um cientista e tenha a permissão da polícia federal e do IBAMA -, nem frutas, carnes e/ou laticínios. Não viaje com drogas - barbitúricos, maconha, haxixe, álcool, cocaína, craque, etc. vão te causar o maior vexame e ainda te mandar para a cadeia por tráfico internacional de substâncias ilegais - o álcool está fora, mas há países em que você não poderá entrar com ele, e todos os países perguntam se você está transportando álcool.

Tudo pronto e arrumado, não se esqueça de fazer um check list com tudo o que você precisa de levar. Só feche as malas depois de conferir se está tudo em ordem. Não esqueça de comprar uma pochete para dinheiro - é bem fininha, você encontra até em lojas de esportes como a Centauro, onde eu comprei a minha por 30 pilas - há mais baratas, no entanto. Nessa pochete, que você prenderá ao corpo, ponha seu dinheiro, cartão de crédito e passaporte. Na hora de passar pelo raio X, ponha dentro da mala de mão e volte a prendê-la ao corpo.

Na Polícia Federal: você vai pegar uma fila na PF antes de entrar no saguão de embarque. O policial vai pedir seu passaporte e suas passagens e te liberar, apenas isso.

Na Imigração: não ouça o que as pessoas dizem a respeito da checagem na imigração. Às vezes eles invocam, às vezes agem como seus melhores amigos. Você só precisa se manter calmo, com todos os documentos em mão e apresentá-los à medida que forem requisitados. NÃO FALE NADA QUE NÃO FOR PERGUNTADO, ATENHA-SE A RESPONDER O QUE TE PERGUNTAREM.

Você precisa ter em mãos: passaporte, passagens de ida e volta (seu itinerário detalhado que a cia aérea vai mandar pro seu e-mail), comprovante de acomodação, carta de matrícula na escola, carta do seguro médico - se necessário: extrato do cartão de viagem ou o traveler's cheques, cartão internacional, holerite - geralmente não é necessário. Lembre-se que para a maioria dos países europeus não é necessário visto - cheque a necessidade de vistos com a embaixada do país.

As perguntas que te farão provavelmente serão: why are you here? (por que você está aqui?)/ what's the reason for your visit? (qual o motivo de sua visita?); how long are you staying? (quanto tempo você vai ficar?); where are you studying? (onde você vai estudar?); where are you staying? (onde você vai se acomodar?) - geralmente eles só perguntam se "você está aqui pra estudar" (are you here to study?) e pedem para você apresentar a carta de matrícula na escola. Passando daí, é tchau e bênção.

Abaixo seguem uns links que eu julgo podem ajudar a esclarecer mais:
http://www.ci.com.br/
http://www.egali.com.br/ 
https://www.facebook.com/edublinblog?fref=ts
http://www.reclameaqui.com.br/

Para viagens em geral: www.gabimoniz.blogspot.com.br

E é claro, visite: www.marciowaltermachado.com.br para literatura




sexta-feira, março 29, 2013

Iesus Nazarenus Rex Iudeorum

Estremeça toda a terra!
Ribombem os trovões no céu!
Ruja desde as profundezas o rei dos mares!
Raios vestais cortem os ares!
E que no templo - de alto a baixo –
Rasgue-se da separação o véu.


Desfolhai-vos oliveiras milenares!
- É de sangue o Cedron escorrente –
Chora ó portentoso Eufrates,
Derrama as copiosas lágrimas do Oriente.
Chora! Pois na cruz agora pende o teu Criador
- Deus feito homem, salvação das gentes –
É Jesus - nosso Senhor.



Por trinta moedas foi vendido
- Eis o preço de um beijo hipócrita –
Contado foi entre vis bandidos;
Cai a chuva – é a criação que chora.


No sinédrio ante a Caifás
Arrancaram-lhe as barbas co’as mãos;
Chamaram-no profeta falaz –
Ao grande Rei fizeram ladrão.
- Entre si dividiram as vestes suas -
Bradava triste o salmista nas ruas.


Ouve! Pilatos, que tua mulher foi alertada
- Viu sobre ele a glória de Deus –
Soube que não era culpado em nada,
Suplicou-te pelo rei dos hebreus.


- Quid es veritas Domine?
Foram as palavras de tua pergunta
- Por Sua glória encontravas-te confundido. -
Na presença daquela plácida figura
Eras Israel aos pés do Monte,
Eras Caim cobarde fugindo.


Trocado foi o Rabi por Barrabás –
A multidão delirante pedia por Seu sangue,
Pensavam ser Davi ante o Gigante –
Não sabiam que era Ele o príncipe da paz.


Coroaram-no com grossos espinhos
Castigaram-no com o maldito flagrum -
Ao Seu corpo todo dilaceraram,
Tornaram-no a salvação dos gentios.


Olha Israel! Pois na cruz pende o teu Redentor
- Os pulsos por cordas amarrados
Mãos e pés perfurados pelos cravos –
Soltando ao mundo o Seu urro de dor.


Pranteia Madalena! Com o brado esvaiu-se-lhe a vida
- O Mestre a cujos pés lavaste com perfume puro
Aquele que te perdoou com amor mais profundo –
Jaz morto sob aquela insígnia.


José – dai-lhe um túmulo virgem em vez de ungüento!
Tiago – chora por teu amado irmão nazareno!
Maria – sente a espada cortando teu coração!
João – eis o teu amigo sobre o madeiro cruento!


A natureza torna-se Briaréu –
A chuva cai como amargoso fel
Sobre o túmulo onde repousa o Messias.
O Filho do Homem sofrerá por mais três dias –
Sim! Era Ele o doce cantor de Israel,
Era d’Ele que falavam as profecias!


Então desponta! Aurora dominical
Pois aquele que morreu, agora ressuscita.
Trema a terra! Reluzam os anjos!
Desmaiem as sentinelas pela visão celestial!
Caia a seus pés a morte – vencida!


O sudário ao canto da câmara vazia
Nem parece que envolvia
O corpo da águia das eras.
- Havia descansado no seio da terra –
A rosa de Sarom agora ressurgia.


Vai Tomé, toca-lhe as chagas,
Lembra-te de quando acalmou o ímpeto das vagas –
Da tempestade fez calmaria.
Recebe em teu rosto o sopro da vida,
No pentecostes cumpre tua sina –
Espalha pelo mundo as novas d’alegria.

Sorriam os homens no caminho de Emaus
Cresçam os lírios nos ermos pauis
- Os vales se encham de vida –
Renove-se a criação no sopro suave da brisa.


Pedro, apascenta as ovelhas do Bom Pastor
Pois aquele que da morte ressuscitou,
É Jesus – o rei dos judeus,
É Jesus – o Deus Criador!

quinta-feira, fevereiro 07, 2013

Salada Caesar à moda Márcio Walter Machado






A salada Caesar é muito fácil, há vários blogs e vídeos na Net que você pode consultar. Eu usei a receita básica e incrementei com ingredientes que eu gosto. Ficou assim:






Ingredientes (quantidade ao seu gosto):
Alface (eu usei dois pés) devidamente lavados e higienizados;
Crouton que você pode comprar já pronto (eu preferi fazê-lo usando os pães que tinha em casa - inclusive panetone, pra dar um gosto diferenciado) - a quantidade é ao seu gosto, apenas tenha cuidado para não ficar desproporcional ao restante dos ingredientes;
Queijo (usei parmesão) cortado em cubos, dois punhados;
Champignon (usei meio pacote) cortados ao longo;
Azeitonas (usei meio pacote) lavadas em água filtrada para tirar o excesso de sal;
Uvas passas (pus um punhado);
Chester (usei dois punhados) cortados em cubo; (a receita original leva frango)
Meia manga rosa cortada em cubos;
Tomates cereja (pus um punhado) devidamente lavados e higienizados;
Cenoura (usei uma pequena) ralada;
Beterraba (usei uma pequena) ralada;
Molho para salada (usei mostarda, mel e vinagre balsâmico) - há o molho "Caesar" vendido nos supermercados;
Azeite de oliva.

Modo de preparo:
Corte as folhas de alface à mão, de forma irregular.
Corte o pão (é indicado o pão de forma. Eu, no entanto, usei de forma, de leite e Panetone) em pequenos cubos antes de levá-lo ao forno para assar (após assado o pão se despedaça). Não deixe torrar demais. Você também pode optar por comprar o crouton já pronto.
Ponha todos os ingredientes (exceto o crouton) numa saladeira funda e misture. Adicione o molho e o azeite de oliva necessários para dar gosto e umedecer a salada - cuidado com os exageros.
Adicione o crouton apenas na hora de servir para que não fique muito mole.Misture-o aos outros ingredientes. se necessário, adicione um pouco mais de molho e azeite.
Sirva e bon apetit.
A quantidade ds ingredientes que usei deu pra 4 (quatro) porções.

 
 

Tervetuloa Turkuun! Turku, a cidade da margarida gigante.

“Perplexidade” – essa é a palavra que toma conta de nós quando ouvimos falar de ataques terroristas. Pois, é difícil entender, por exem...