domingo, março 08, 2009

últimos versos

Estes são os últimos versos que terás de mim.
Já não tenho vontade de falar de ti,
De procurar teus olhos em outros rostos;
De tua voz não recordo mais o timbre
Ou o tom das músicas que cantavas para mim.

Meu coração esvaziou-se todo daquele amor que o enchia
- Minha alma está vazia como uma concha lançada à praia pela maré,
Não tenho sequer vontade de dizer-te adeus.
Secou-se me mim o choro, desapareceu para sempre a melancolia,
A agonia da paixão cessou e o meu coração se tornou um abismo colossal
Onde todas as tuas lembranças foram perdidas.

Estou sobre um penhasco de pedras finas e é dele que vejo
Tua última palavra calar-se, teu último sorriso desvanecer.
Penso em dizer-te "adeus", mas esta palavra fria que roça os lábios
Morre à flor da boca para que tu não escutes ao menos um sussurro meu.

Adeus amores falsos!
Adeus ilusões perdidas!
Adeus cadafalso! patíbulos terríveis onde estive!
Adeus às amarguras que me invadiram a mente!
Só a ti não digo adeus para que entre tu e eu
Haja apenas o silêncio.

Não foi para sempre o amor que tive por ti,
Como não será para sempre nenhuma amargura ou dor que me tenhas causado.
Bastou-me hoje, ao despertar do dia, para entender que não tens mais lugar em mim.
Esqueci quem eu era em prol de ti, mas essa insânia durou apenas um segundo.
Basta! adeus ao mundo vão e às ilusões infantis que nele gerei.
Só a ti não digo adeus para que não escutes a minha voz
E haja apenas o silêncio, sem ecos, vazio, entre nós.