domingo, julho 01, 2007

Admirável Século Novo


É incrível! entra ano e sai ano e o país parece afundar cada vez mais no status quo da miséria! Quase seis séculos se passaram e os quilombos não param de se formar nas grandes cidades e em seu entorno. Gente que deveria ser livre, se vê cercada, presa, desolada numa guerra de uma população enraivecida e vencida pelas agruras da pobreza contra essa mesma população enraivecida por perceber sua impotência. Culpa-se o governo pela crescente putrefação socioeconômica, culpa-se Deus, culpa-se tudo e todos, menos quem de fato tem a culpa: eu e você, eleitores, cidadãos que põem no poder representantes para cuidar dos nossos interesses e que, mesmo vendo escândalos atrás de escândalos - não só os que aparecem no jornal, mas também na mesa do pobre que não tem o que comer, nas ruas da cidade, nos lençóis de mendigos etc. -, e que, no entanto, não se levantam e lutam pelo que acreditam e almejam. Mas será que se acredita em alguma coisa? será que se almeja alguma coisa? Talvez esses vários séculos de exploração, esses vários anos de escravidão, coronelismo, ditadura tenham tirado de nós a última ponta de esperança e nos deixado à deriva, esperando que os "senhores" venham nos dar o pão e o trabalho - aliás, pão e trabalho que muitos milhares não vêem - diários e nos fazer caminhar a passos largos ao matadouro, sem que nos demos conta disso e nos deixemos abater moral, espiritual e socialmente, enquanto as fileiras da miséria crescem e as ruas se povoam de marginalizados.

segunda-feira, abril 09, 2007

o que é literatura?

Hoje um aluno me perguntou o que eu entendia por literatura. Não se pergunta a um professor de Literatura o que é sua matéria - ele sabe de cor. Aqueles vários conceitos estudados na universidade, nos tóricos... passaram por minha cabeça, idéias que circulavam desde o Pachatantra até o tratado de algum catedrático das revistas literárias da semana passada. Versões e versões indo e vindo pelos corredores da minha mente, informações de anos de sociedade escritora que me fizeram pasmar diante daquela simples pergunta. O menino, vendo que eu fazia uma viagem que talvez ele não pudesse alcançar, bateu no meu ombro e disse: "e aê, prof, o que é mesmo?". Eu sorri e lhe perguntei questões banais que iam desde o horário em que ele acordou ao que havia feito até aquele momento. Ele me respondeu a tudo, com uma expressão de que não tinha entendido aonde eu quis chegar, tipo: "colé, rapaz, cê falô, falô, me fez falr e não disse nada". antes que ele me indagasse mais uma vez, eu lhe disse: Literatura é isso: vida, escrita de formas diferentes em lugares diferentes - no seu corpo, na sua alma, no livro que vc está na mão".
e pra você, o que é a literatura?

Tervetuloa Turkuun! Turku, a cidade da margarida gigante.

“Perplexidade” – essa é a palavra que toma conta de nós quando ouvimos falar de ataques terroristas. Pois, é difícil entender, por exem...